A transformação digital está a chegar por outsourcing – e isso não nos espanta

categoria

Desafios do CEO

autor

Nuno Morais

tags

B2B, B2C

Não há conferência, workshop ou encontro de líderes e gestores onde a transformação digital das empresas não seja um tema presente. No entanto, são poucas as empresas que têm, efetivamente, um ou vários departamentos inteiramente dedicados à transformação digital – tanto que um estudo realizado pela Impacting Digital em 2018 confirmou que 22,9% das empresas portuguesas admite preferir o outsourcing dos serviços digitais. 

 

O cenário tem uma explicação: sabemos, enquanto gestores de negócio, que a mudança pesa no relatório de contas, e sabemos, enquanto gestores de expectativas, que os stakeholders não tiram os olhos dos números e das taxas de retorno. Ora, manter um departamento (ou vários) a gastar permanentemente os recursos da empresa numa atividade cujos resultados não surgem a curto prazo pode ser difícil de justificar – e é aí que o outsourcing aparece como solução mais viável.

 

As vantagens do outsourcing no processo de transformação digital

 

Mais competências com menor investimento

 

Não é segredo que a economia de escala favorece as empresas de outsourcing, permitindo a alocação de um único investimento a diversas fontes de retorno – baixando assim o preço final do serviço e tornando mais barato contratarmos uma equipa de suporte IT em outsourcing do que mantermos a nossa própria equipa dentro de portas.

 

Por outro lado, as empresas de outsourcing combinam diferentes competências dentro da mesma equipa – porque, mais uma vez, a economia de escala lhes oferece uma maior margem de manobra -, permitindo que nós, enquanto negócio, tenhamos acesso a diferentes capacidades técnicas que nunca teríamos se tivéssemos de contratá-las uma a uma.

 

Contratar um serviço de apoio TI em formato de outsourcing torna-se, assim, uma forma fácil de completar o negócio com novas competências sem ter de fazer o correspondente (e proporcional) investimento financeiro – que o digam os 26% de empresas norte-americanas que, num estudo da Innovative Tech, assumiram o outsourcing como ferramenta de corte de custos na área digital.

 

Acesso a competências escassas

 

O mercado de trabalho está mais perto da plenitude e os recrutadores conhecem bem a dificuldade que é encontrar – e reter – determinados talentos da área tecnológica. Com algumas competências técnicas a tornarem-se cada vez mais essenciais para os processos de transformação digital, o desequilíbrio entre a oferta e a procura cresce e já se sabe que os mais penalizados são sempre os que têm menor poder no mercado.

 

Para não ficarem de fora da transformação digital por falta de competências técnicas – o que só agrava o fosso entre as empresas com mais e menos força de negócio -, 19% das empresas recorrem ao outsourcing para terem acesso, ainda que indireto, a profissionais com a qualidade que a transformação digital exige e que as equipas permanentes ainda não têm (enquanto 21% admite que a qualidade do trabalho melhora).

 

Cloud computing

 

A nuvem está na moda e, do ponto de vista da transformação digital, tem todos os motivos para isso. Com a informação armazenada em servidores externos, o processo de integração de tecnologias torna-se infinitamente mais ágil – não só porque todas podem aceder à mesma base, mas também porque a manutenção dos servidores externos é mais frequente e mais fácil do que a manutenção de servidores particulares, que eventualmente se desatualizam.

 

Sendo a informação, o acesso a ela e a forma como ela é catalogada elementos fundamentais para um processo de transformação digital, a tecnologia da nuvem transforma-se numa ferramenta praticamente imprescindível para qualquer negócio moderno.

 

Melhor adoção digital

 

Gestores de empresas mais antigas vão compreender bem este ponto: é muito difícil contrariar a cultura empresarial e, numa empresa onde a equipa tem muitos anos, a resistência à mudança é tão forte que, se ela vier de dentro, não tem como vingar.

 

Contratar em outsourcing os serviços de digitalização melhora a adoção digital na medida em que, vindo de fora, o processo não é contaminado pela cultura empresarial e resiste a ela de forma mais eficiente. A consciência de que a transformação digital resulta de um investimento visível da empresa aumenta a reputação do processo e ajuda a que seja melhor aceite pelos colaboradores.

 

Equipa de IT estrategicamente alocada

 

A contratação do serviço de outsourcing não tem de obrigá-lo a abdicar de uma equipa interna de IT. Na verdade, a delegação dos serviços de suporte ao utilizador final (como tickets, resposta a problemas de hardware ou monitorização do desempenho da estrutura tecnológica) na equipa de outsourcing permite libertar a equipa interna para que se dedique por inteiro a iniciativas e planeamento estratégico – que não só são muito mais importantes para o processo de transformação digital como, essas sim, requerem um conhecimento do negócio que só quem está lá dentro pode ter.

 

O custo, neste caso, sofre um ligeiro incremento (porque paga as duas equipas em simultâneo), mas o retorno também não será o mesmo e, do ponto de vista da Business Intelligence, é muito maior.

 

Por todos estes motivos, não nos espanta que a transformação digital esteja a chegar às empresas por outsourcing. Esse é o futuro da tecnologia e dos serviços em geral – e as empresas agradecem.