O negócio da atenção (e como ela aumenta o seu lucro)

categoria

Negócio Digital

autor

Lynda Lourenço e Faro

tags

B2B, B2C

A proliferação de anúncios no meio digital é algo que já dificilmente nos apanha de surpresa, e qualquer gestor de qualquer área de negócio nos diz que quem não aparece na internet não existe. No entanto, o mercado publicitário online ainda tem muito por explorar – e o lado mais desconhecido é, curiosamente, aquele que pode trazer-lhe mais lucro.

 

Não está em causa o lucro derivado da exibição de anúncios, menos ainda da conversão destes anúncios em clientes efetivos da nossa marca. O que está em causa, aqui, é a origem da questão: a atenção que os utilizadores dos sites prestam a cada página e a forma como ela pode ser monetizada a nosso favor.

 

A monetização da atenção

 

Velho e em desuso está o ditado de que “tempo é dinheiro”. Nos dias que correm, o mantra é “atenção é dinheiro”, e qualquer bom gestor já compreendeu que o tempo, por si só, não leva ao consumo.

 

Num mundo (digital e físico) crescentemente sobrecarregado de anúncios e mensagens publicitárias, mais do que o tempo dos consumidores, as marcas querem a atenção deles – aqueles breves segundos em que se detêm em frente a uma mensagem, tentando decidir se vale ou não a pena desperdiçar nela um recurso tão escasso como a atenção.

 

A estes breves segundos de atenção dedicada o mundo online chama de BAT: Basic Attention Token. De forma simples, o BAT é a moeda de troca de qualquer utilizador (e site) quando está online e no meio das marcas que querem publicitar-se: cada vez mais escasso, o BAT é monetariamente valioso e representa, quase sempre, a diferença entre uma campanha bem sucedida ou uma campanha que se perde no universo digital.

 

Assim, é natural que os agentes que atuam no mercado digital tenham aprendido como fazer dinheiro com o BAT, num modelo em que captam a atenção do consumidor para depois vender aquele token a um espaço publicitário. E aqui entra o lucro do seu negócio: não só pode comprar o BAT como também pode vendê-lo e gerar receitas com ele.

 

Comprar o BAT

 

Qualquer negócio que faça publicidade online, nomeadamente através de plataformas de publicidade programada (como o Google AdSense), compra BAT diariamente. Na realidade, o que está em jogo é sempre a atenção do consumidor: quanto mais concentrada for (e quanto mais acertado for o perfil do consumidor em comparação com o público que interessa àquele anunciante), mais caro é o token. É por isso que paga mais para anunciar em determinados sites do que noutros.

 

Comprar o BAT é, no fundo, um procedimento antigo (já se fazia este tipo de negócio nas publicações impressas, por exemplo) com um nome novo. Se a sua carreira de gestor não começou ontem, certamente os mecanismos de compra de BAT não são novidade para si.

 

Vender o BAT

 

O que, quase certamente, é novo no seu percurso é a perspetiva de venda de BAT – e é aqui que reside um grande segredo da rentabilização de espaços online.

 

Pense que, quanto mais focados estiverem os utilizadores das suas plataformas online, mais caro é o token de cada um – que é como quem diz, se tiver do seu lado um grupo relevante de utilizadores e conseguir deles um bom foco de atenção, não será difícil arranjar parceiros de negócio dispostos a pagar-lhe bem por uma parceria.

 

Apesar de, no caso do BAT, falarmos da atenção do consumidor, importa reter que a venda deste recurso não é ilegal nem imoral, mas antes a mercantilização de algo que já é seu (desde que, claro, tenha sempre presentes as exigências do GDPR).

 

Como obter lucro com a venda de atenção

 

Uma vez familiarizados com os mecanismos de venda e compra da atenção dos consumidores, os gestores empresariais tendem a ter alguma facilidade em compreender de que forma o foco do cliente pode ser monetizado em favor da marca.

 

Para obter mais retorno no seu negócio com a venda do BAT dos seus utilizadores, só tem de conseguir potenciar as características que mais valorizam este recurso: a quantidade, a duração e a qualidade.

 

Entende-se, por quantidade de atenção, a frequência com que os consumidores ficam focados nos conteúdos da sua marca; por duração da atenção entende-se o período de tempo durante o qual consegue manter fiéis estes utilizadores, afastando-os de toda e qualquer distração externa; e por qualidade da atenção entende-se o grau de concentração com que os utilizadores consomem o seu conteúdo.

 

Todas estas características do BAT valorizam este recurso e o tornam mais caro para quem compra – e, consequentemente, mais rentável para si. Se quer fazer desta uma nova fonte de rendimento do seu negócio, vale a pena uma conversa com a equipa de Marketing no sentido de preparar uma estratégia de atração e retenção de utilizadores nas suas plataformas online, para posterior venda do recurso.

 

Caso a sua estratégia de negócio passe mais por aumentar a sua notoriedade junto de um público específico, ou por angariar leads para uma determinada campanha ou promoção, talvez a compra de BAT se adapte melhor. É tudo uma questão de objetivos.