7 tendências digitais que um CEO não pode ignorar

categoria

Desafios do CEO

autor

Renata Coelho

tags

B2B, B2C

É um facto: a evolução tecnológica apoia o crescimento dos negócios. E é esta mesma evolução tecnológica que, aliada ao sucesso das novas estratégias digitais que dela surgem, dita, de tempos a tempos, quais as tendências digitais a seguir.

Num dos nossos artigos anteriores, em que falamos sobre a importância da transformação digital para os negócios, referimos que o futuro da transformação digital se encontra nas mãos dos líderes de negócio e, principalmente,  dos visionários capazes de perceber que esta é uma condição essencial à sobrevivência das suas empresas. Neste sentido, acompanhar as tendências digitais torna-se indispensável para que seja possível avaliar e definir qual o caminho a seguir para a digitalização dos negócios.

A seguir analisamos as sete tendências digitais que, como líder de negócio, não pode ignorar.

 

7 Tendências digitais para acompanhar em 2018

1. Data Analytics

Num mundo cada vez mais tecnológico, o volume de informação disponível aumenta de forma exponencial todos os dias. Falar em Data Analytics é falar nas oportunidades que o acesso e a utilização correta dessa informação pode aportar a um negócio:

  • Permite tomar decisões inteligentes;
  • Organiza a infromação;
  • Otimiza a canalização de investimentos;
  • Promove a eficiência;
  • Reduz custos e aumenta o retorno.

A análise de dados deve integrar os processos internos de qualquer negócio. Através de ferramentas associadas, como o Google Analytics ou o SAP, é possível perceber em tempo real o que está a correr bem, o que pode ser melhorado e o que está a funcionar. Conheça aqui algumas das melhores ferramentas de Business Intelligence e não deixe que lhe escape nada.


Por último, independentemente do âmbito, não importa se o objetivo é gerir operações de negócio ou relações com clientes, um dos fatores de sucesso das empresas (e no futuro não será diferente) são as decisões on time, baseadas em resultados reais e não na intuição.

 

2. Automação de Marketing

O número de plataformas de automação marketing está a crescer de dia para dia. Servindo diferentes propósitos, estas plataformas digitais apresentam-se mais inteligentes, mais intuitivas e menos dispendiosas.

Atualmente já é dado o devido valor estas plataformas, uma vez terem sido, finalmente, provados os seus benefícios:

  • Elimina erros humanos;
  • Permite a realização de campanhas de email marketing;
  • Analisa resultados associados a cada campanha;
  • Otimiza o processo de conversão de leads;
  • Aumenta as receitas e o retorno sobre investimento (ROI).


3. Real time

Em marketing existe uma teoria que afirma que apenas 5% do que escutamos, vemos ou lemos durante o dia é assimilado. O restante é totalmente prescindível. Esta teoria serve para todo o tipo de conteúdo consumido: desde o programa de rádio que ouvimos de manhã no caminho para o trabalho, às notícias que lemos online na pausa para o café, à consulta do feed das nossas redes sociais, até ao debate político que dá na televisão após o jornal da noite.

Para impactar audiências e estar entre os bem sucedidos 5%, as marcas devem utilizar estratégias de comunicação que permitam abordagens personalizadas e imediatas, como por exemplo, a comunicação em real time.

Aqui fica um exemplo que retrata na perfeição uma campanha de real time marketing, realizada pela companhia aérea British Airways.

A verdade é que as redes sociais também já reconheceram o poder do real time e continuam a apostar no desenvolvimento de novas funcionalidades associadas à instantaneidade das comunicações. Exemplo disso é o sucesso do Instagram Stories e do Facebook Stories.

Como beneficiar do real time marketing em prol do seu negócio?

  • Partilhar eventos e participação em eventos;
  • Realizar entrevistas com colaboradores;
  • Realizar webinars para obter feedback instantâneo do seu público.

 

4. Internet of Things

A Internet of Things (IoT) é uma das tendências digitais que veio para ficar. Na verdade, e tendo em conta uma pesquisa realizada pela consultora tecnológica Gartner, em 2020 prevê-se a existência de mais de 20,4 bilhões de objetos conectados à rede!

Na sua essência, a IoT baseia-se na existência de objetos, até então desconectados, ligados em rede com o objetivo de recolher dados importantes para a identificação de possíveis falhas, definição de estratégias futuras e/ou tomadas de decisão fundamentadas.

Peguemos no exemplo da cadeia de produção de uma fábrica em que todos as máquinas estão conectadas a uma base de dados comum sendo que, entre elas, transferem informação importante com o objetivo de otimizar processos. Toda a informação é registada e reportada de forma a detetar oportunidades de melhoria e/ou ameaças de estragos ou desperdícios de recursos.

Recorda-se do caso da British Airways que abordámos em cima? Pois bem, não teria sido possível sem o IoT, caso contrário, o menino do outdoor ficaria “confuso” na identificação do avião correto.


Para perceber melhor o conceito de IoT, assista a este curto vídeo.

Qual o contributo do IoT para a sua empresa?

  • Otimização de processos;
  • Otimização da gestão de recursos técnicos;
  • Otimização da canalização de investimentos.

 

5. Social Selling

O Social Selling é a arte de utilizar as redes sociais para a criação de uma comunidade para, após a implementação de estratégias de enriquecimento e relacionamento, se alcançar a conversão e conquistar a venda.

Tendo sempre em conta o seu setor de atividade e o seu modelo de negócio, esta é, incontornavelmente, uma das tendências digitais a seguir dada a enorme aceitação das redes sociais pelos consumidores.

Saiba mais como gerir redes sociais com orientação aos objetivos do seu negócio.

 

6. Inteligência Artificial

A inteligência artificial está cada vez mais presente na realidade das empresas.

Analisemos o exemplo da Netflix:

O modelo de negócio da Netflix baseia-se na utilização dos benefícios do digital para satisfazer uma necessidade muito específica de um determinado público – o de ter acesso a filmes e séries online com uma excelente qualidade audiovisual. Mas afinal, onde entra aqui a inteligência artificial? Quando (e se é utilizador da Netflix sabe) lhe é recomendado um determinado filme ou série. Estas recomendações, feitas autonomamente pela plataforma, baseiam-se em algoritmos que examinam toda a sua jornada desde o login ao logout, sabendo exatamente quais os filmes ou séries que assistiu. Quanto maior for a informação for dada à plataforma, mais estes algoritmos se vão desenvolvendo. Esta evolução só é possível graças à inteligência artificial, tecnologia que sustenta esses mesmos algoritmos.

Tal como a Netflix utiliza a inteligência artificial, outros negócios também podem beneficiar de todas as suas vantagens. No setor da indústria de produção, por exemplo, é possível otimizar processos aumentando a rentabilidade e reduzindo custos.

Negócios (principalmente B2C) que utilizam inteligência artificial estão, inadvertidamente, a interferir com a experiência do utilizador. No caso da Netflix, a incentivar a permanência na plataforma. O que se traduz, na verdade, num win-win. A Netflix fideliza clientes e os clientes ganham uma plataforma à sua medida, personalizada com os seus gostos pessoais.

Voltando ao início deste ponto, apesar da inteligência artificial estar cada vez mais presente na realidade das empresas, será que o seu negócio está preparado para implementar esta tecnologia? Saiba como digitalizar o seu negócio.

 

7. Blockchain

Apesar de ser uma tendência pouco utilizada e até pouco clara para alguns, achamos relevante incluí-la na nossa seleção de tendências digitais a seguir.

Mas afinal o que é o blockchain? O Blockchain é, nada mais nada menos, a tecnologia que suporta as cryptocurrencies. Ou então, por outras palavras, digamos que o Blockchain está para os cryptocurrencies como a Internet está para as redes sociais. É o sistema responsável por validar e registar toda a informação relativa às transações realizadas através de cryptocurrencies ou, se preferir, através de moedas digitais (o exemplo mais conhecido é a Bitcoin).

A utilização de cryptocurrencies já é uma realidade em alguns negócios e é, sem dúvida, uma mais-valia para negócios que pretendam:

  • Viabilizar a venda para novas geografias;
  • Apostar em novos modelos de negócio com base em micro-serviços;
  • Otimizar o seu comércio eletrónico;
  • Obter maior margem de lucro sobre as vendas online;
  • Contratar serviços outsourcing fora do país.

Saiba como o blockchain impactará o seu negócio no futuro.

 

A importância de uma boa gestão de informação

Neste artigo destacamos uma série de tendências digitais que, interligadas ou não, apoiam as empresas na otimização dos seus modelos de negócio, processos internos e relacionamento com clientes. Claramente que para estes fins existem outras, como a cloud services e o mobile marketing que, na verdade, já não se assumem como tendências mas sim como requisito mínimo para os negócios que pretendam otimizar métodos de trabalho e acompanhar as tendências do mercado e do comportamento dos consumidores.

Contudo, e apesar de todas elas assentarem em tecnologias distintas e servirem diferentes objetivos, existe um ponto comum entre elas: a gestão de informação.

A massificação do acesso à Internet, o crescente aumento do uso de smartphones, a facilidade com que se cria um website, entre outros, fez com que a quantidade de informação online crescesse a um ritmo avassalador. O que despoletou o aparecimento das tecnologias supra referidas que, como podemos verificar nas micro análises feitas, vêm facilitar a interpretação dos dados.

A gestão de informação (uma boa gestão de informação) deve ser uma preocupação para as empresas. Só assim, com a correta análise dos dados e correta aplicação de estratégias, será possível sobreviver aos avanços tecnológicos. A questão que se impõe é: a sua empresa está preparada?