O que significa inteligência artificial para os negócios?

categoria

Desafios do CEO

autor

Javier Molina

tags

B2B, B2C

Apesar de muitos líderes de negócio se assumirem céticos relativamente à inteligência artificial, a sua aplicabilidade nos negócios é vasta.

A verdade é que, em poucos anos, a inteligência artificial evoluiu de tal modo passando de uma mera curiosidade tecnológica para uma promissora ferramenta de negócios. A sua proposta de valor, se assim podemos chamar, assenta no aperfeiçoamento das tarefas de qualquer profissional de qualquer área e setor de atividade.

Saiba como pode aplicar a inteligência artificial no seu negócio no sentido de otimizar a relação com os seus clientes.

 

O que é a inteligência artificial?

A inteligência artificial é a capacidade de uma máquina, controlada por um computador, pensar, aprender, decidir, realizar tarefas e resolver problemas de forma inteligente. Podemos olhar para esta tecnologia como um simulador do raciocínio humano e que pode ser aplicada em diversos setores de atividade como é o caso da saúde, do entretenimento, das telecomunicações ou até da agricultura.

Muito bem, mas afinal, o que significa inteligência artificial para os negócios? Para responder a esta questão, vamo-nos focar em duas áreas fundamentais e transversais a qualquer setor de atividade, o marketing e as vendas.

 

O consumidor e a inteligência artificial

As máquinas e a tecnologia estão cada vez mais presentes nas nossas vidas e no nosso dia-a-dia. Esta presença (que gradualmente se vai tornando cada vez mais vincada) traduz-se na forma como vivemos, socializamos, trabalhamos e passamos o tempo livre. Alguns exemplos disso são:

  • As assistentes pessoais virtuais capazes de reconhecer a voz do utilizador e executar determinadas tarefas num dispositivo, como por exemplo efetuar chamadas, marcar reuniões, enviar mensagens, pesquisar locais, sugerir recomendações e muito mais. As assistentes pessoais mais conhecidas são a Siri (da Apple), a Cortana (da Microsoft), a Alexa (da Amazon Echo) e o Watson (da IBM).
  • As sugestões de pesquisa do Google que, à semelhança do ponto anterior, se baseiam em preferências e gostos pessoais, em rotinas e localizações e que tornam a pesquisa muito mais fácil e intuitiva para o utilizador.
  • Os veículos autónomos com poderosas capacidades preditivas que, apesar de ainda não serem uma realidade em Portugal, não escondem as suas vantagens perante os veículos ditos normais. Um dos exemplos mais célebres da aplicação da inteligência artificial na indústria automóvel pertence à empresa Tesla cujo CEO, Elon Musk, já veio afirmar que muito em breve os veículos Tesla terão a capacidade de prever o destino do seu condutor sem que este tenha, sequer, de dizer uma palavra.

Como referido em cima, estes são apenas alguns exemplos de como a inteligência artificial se vai “infiltrando” nas nossas vidas sem que, na maior parte das vezes, nos apercebamos. Contudo, e apesar desta inconsciência consentida, existe uma abertura cada vez maior ao tipo de abordagem implementada pela inteligência artificial. Por exemplo, sabia que já é possível requisitar um Uber através da Alexa?

Prova dessa abertura é a atitude que o consumidor tem durante o seu processo de decisão de compra, quer seja de um produto ou serviço. A inteligência artificial não só deteta os seus interesses como recomenda produtos ou serviços consoante as suas necessidades, incentivando a compra de forma quase genuína. Não podemos negar, é um facto: o consumidor está habituado a que os seus dispositivos (nomeadamente o smartphone) o conheçam e, deliberadamente, interajam com ele a fim de proporcionar uma experiência customizada e alinhada aos seus interesses.

 

A influência da inteligência artificial nos negócios

A inteligência artificial afeta os negócios na medida em que os ajuda a identificar oportunidades através da leitura, interpretação e aplicação dos dados de forma eficaz que, na maior parte das vezes, se apresentam confusos e desorganizados.

Porém, a facilidade na utilização dos dados não é a única vantagem. A inteligência artificial é muito mais que isso e pode ser aplicada aos negócios nas mais variadas vertentes, principalmente na relação entre marcas e consumidores.

 

4 formas de utilizar a inteligência artificial para otimizar a relação com os consumidores

 

Interfaces conversacionais

A partir do momento em que os consumidores se sentem à vontade para requisitar um Uber através da Alexa, ou para confiarem a sua agenda profissional à Siri, por que não se sentiriam à vontade para interagir com o seu website ou aplicação da mesma forma?

 

Personalização

Está provado que a criação de experiências personalizadas converte. E arriscamo-nos a dizer que não cairá em desuso. Através do machine learning é possível personalizar não só as experiências como também a comunicação que temos com os diferentes perfis de consumidor. Dois excelentes exemplos são o da Netflix, que nos recomenda filmes ou séries conforme a nossa interação na plataforma; e o do Spotify, que semanalmente lança para cada utilizador uma Discover Weekly Playlist.

Acreditamos que, num futuro próximo, o sucesso das marcas estará na sua diferenciação relativamente à personalização da experiência (produtos, serviços e anúncios) baseada nos interesses pessoais de cada um dos consumidores.

 

Automação

Já alguma vez parou para pensar que a tecnologia serve para nos ajudar a concretizar tarefas de forma mais rápida, eficaz e menos dispendiosa? A inteligência artificial, através do machine learning, ajuda os negócios a automatizar determinadas tarefas agilizando processos e acelerando resultados. Os chatbots exemplificam-no na perfeição uma vez que, para além de eliminarem erros humanos, otimizam o processo de conversão de leads.

 

Análise de dados avançada

A essência da inteligência artificial é a sua capacidade de detetar padrões comportamentais através da interpretação de dados. A complexidade destes padrões levaria dias para que um ser humano o identificasse. Esta aprimorização da análise de dados, possível com o machine e deep learning, permite prever outros padrões e, até, situações futuras.

 

Melhor marketing, mais vendas

Um dos pilares que sustenta a transformação digital nos negócios é a forma como estes se relacionam com os seus clientes, e a inteligência artificial, tal como referimos em cima, atua nesse mesmo sentido. Um dos seus principais objetivos passa por aumentar a satisfação dos clientes, quer seja oferecendo um atendimento mais rápido e personalizado ou resolvendo problemas de forma instantânea sem causar transtornos ao utilizador.

Para além de aumentar a taxa de fidelização clientes, a utilização da inteligência artificial apoia as marcas a otimizar as suas estratégias de marketing no sentido de conquistar novos clientes.

Por isso, e respondendo à questão inicial,  a inteligência artificial significa melhor marketing e mais vendas para os negócios.

Por último, e embora se continue a pensar que a inteligência artificial é algo que está longe da realidade das empresas em Portugal, a verdade é que para lá caminhamos e que, enquanto consumidores que também somos, já não passamos sem ela. A questão que lhe colocamos é será que o seu negócio está preparado para implementar esta tecnologia?